Resenha: A Primeira Chance – Abbi Glines

dezembro 14 2015

                Oi, meus amores. Eu sei, faz muito tempo que eu não trago resenha para vocês, mas aqui estou eu depois de muito tempo para falar sobre o livro A Primeira Chance,  publicado pela Editora Arqueiro. Esse livro faz parte de uma série que se interliga com outros livros da autora também publicados pela Editora.

Quando o pai roqueiro de Harlow Manning sai em turnê, ele a envia para Rosemary Beach, na Flórida, para viver com sua meia-irmã Nan. O problema: Nan a odeia. Harlow tem que manter a cabeça para baixo, se ela quer passar os próximos nove meses em paz. Isso parecia ser fácil… Até que o lindo Grant Carter sai do quarto de Nan.
Grant cometeu um grande erro em se envolver com uma garota com veneno nas veias. Ele sabia sobre a reputação de Nan, mas ainda sim não conseguiu resistir a ela. Nada faz ele se arrepender da aventura mais do que seu encontro com Harlow, que o deixa com o pulso acelerado. No entanto, Harlow não quer ter nada a ver com um cara que poderia se apaixonar por sua meia-irmã malvada. Mesmo não existindo amarras entre Grant e Nan.
Grant está desesperado para se redimir aos olhos de Harlow, mas ele arruinou suas chances com ela antes mesmo de conhecê-la…

Ano de Lançamento: 2015

                                      Avaliação: 5/5

Harlow é filha de um astro de rock de muito sucesso, mas sempre foi mantida a distancia para não ter que viver no meio da confusão que a fama traz para a vida. Seu pai a idolatra, mas a sua meia-irmã nutre um grande ódio por ela mesmo sem que ela entenda o por que. Agora ela irá precisar morar com Nan  enquanto seu pai está em turnê. Mas se separadas as duas já viviam brigando, imagina morando juntas?

– Existem três tipos de mulher nesse mundo. Aquelas que sugam você até a última gota e o deixam sem nada. Aquelas que só querem se divertir. E aquelas que fazem a vida valer a pena. Esse último tipo… A mulher certa é aquela que dá na mesma medida em que recebe, e você nunca se cansa de estar com ela. Ela é do tipo que… se você perdê-la, acaba se perdendo. (A Primeira Chance, página 11)

Harlow é a típica filha “perfeita”, estudiosa, na dela e quase sem aprontar e fruto de um relacionamento repleto de amor com final trágico tudo o que restou para que seu pai se lembrasse da única mulher que amou na vida é ela. Talvez por isso Nan a odeie, mas quem derá esse fosse o único motivo.  (Trecho de Harlow acerca de Nan)

– Você a odeia tanto assim? – perguntou ele.

Balancei a cabeça.

– Não. Mas é uma grande bandeira vermelha sinalizando que a pessoa tem algum problema. (A Primeira Chance, página 49)

Já nas bastasse essa rivalidade existente, ainda tem o fato de que o ex-namorado de Nan agora está demonstrando um intenso interesse em Harlow. Grant é o tipo de cara que toda garota fica sonhando em ter ao lado, mas cujo passado é mais do que duvidoso.  Sua história com a meia-irmã de Harlow deixou muitas marcas e ainda não se encontra totalmente no passado, por isso que mesmo com ele dizendo que não existe mais nada ela não está confiante em se permitir e deixa-lo se aproximar.

– Vai ser difícil, mas prometo que não vou fazer. Não até você pedir. – Ele parou e apontou para o lugar onde eu tinha me sentado. Andei até lá e me sentei na cama novamente. Grant se inclinou para a frente. – Mas Harlow… – começou a dizer – você vai pedir.” (A Primeira Chance, página 17)

Mas é como dizem, onde existe vontade o resultado só pode ser um. Depois de muito convencimento e dias juntos eles se aproximam e a química já existente se acentua. Uma troca de olhares, um beijo e a partir dai tudo muda. O que nenhum dos dois esperava é que Grant fosse embora no dia seguinte de sua primeira vez. Magoada e com razão ela está decidida a se manter distante dele, mas morando na mesma casa que Nan durante 9 meses é provável que não seja tão fácil assim!

“Eu não tinha muito parâmetro, mas com certeza Grant era especialista nisso. Não queria pensar muito nesse assunto. O fato era que ele sabia o que estava fazendo. Era capaz de fazer com que eu perdesse o controle, coisa que nunca me acontecera antes.” (A Primeira Chance, página 31)

E se você achava que as chances de Grant estavam comprometidas antes, espere até ouvir o resto da história. Em sua primeira noite na casa de sua queridíssima irmã (eu sei, se Nan é esse monstro porque Kiro – o pai – fez com que ela fosse para lá? É uma ótima questão) ela escuta barulhos vindos do quarto ao lado e aposto que vocês conseguem adivinhar quem era… Ao se deparar com aquele que tanto lhe fez mal a única coisa que ela quer é distancia, mas Grant está decidido a explicar tudo o que aconteceu a grande questão é: será que ele consegue fazer Harlow escutar?  

“- Não sou imbecil. Sei que nunca me telefonou, exceto aquela única vez, e estava bêbado demais para lembrar o próprio nome. Não me faça de idiota só para se sentir melhor. Sou bem crescida, e graças a você, perdi toda aquela ingenuidade de antes. Aprendi algumas duras lições. – Ela engoliu em seco e balançou a cabeça. – Não. Não temos nada para conversar, Grant. Seu tempo acabou. Por favor, volte para Nan. Aproveite o máximo que você puder. Minha vida não é da sua conta nem nunca será. (A Primeira Chance, página 46)

Grant jura ter ligado e tentando entrar em contato, Harlow não recebeu nenhuma ligação. Será que um dos dois está mentindo ou tudo não passa de um mal entendido? Assustado com a chance de se apaixonar, se entregar e se machucar Grant tem medo de lutar para reconquistar Harlow, mas será que o medo será maior que o amor? Bom, só lendo para saber.  

“ – Ele a teria salvado mesmo que você tivesse lhe contado esses segredos. O amor não se esvai de uma hora para outra. Ele podia ficar magoado. Podia até não ser capaz de confiar em você novamente. Mas teria ido atrás de você, porque é isso que o amor faz com as pessoas.” (A Primeira Chance, página 68)

Os personagens de outros livros da autora são presença constante nessa série, o que é normal para aqueles que já leram e viram que Grant e Nan já apareceram anteriormente no livro. Mas mesmo para aqueles que não leram os outros livros não há necessidade de se preocupar. Cada série pode ser lida independente da outra, claro que lendo todos você terá uma melhor visão sobre os personagens, mas não é algo essencial!

Eu amei e amo a escrita da Abbi, é leve, envolvente, divertida e é claro: apaixonante. Se você gosta de um romance e de um leitura gostosa e rápida esse livro é para você! As cenas mais hot não são tão explicitas, então para quem não gosta não é algo constante e nem pesada no livro. Eu espero que tenham gostado e que essa dica proporcione uma boa leitura para vocês! Não esqueçam de deixar seus comentários, ok? Aguardo vocês!

Um beijo da Brooke.